Filosofia e Existência

Filosofia e Existência
estude filosofia a distância

terça-feira, 25 de março de 2014

Quarto Degrau... São Menas...48 a 57

Quarto Degrau... São Menas...48 a 57



48 . Aquele cuja vontade e desejo em uma conversa é o de estabelecer a sua própria opinião, ainda que ele diga a verdade, deve reconhecer que ele está com doença demoníaca. E se ele se comporta assim só em conversa com seus iguais, então talvez a repreensão de seus superiores possa curá-lo. Mas se ele age dessa forma mesmo com aqueles que são maiores e mais sábios do que ele, então sua doença é humanamente incurável.
49 . Aquele que não é submisso em discurso, claramente não o será também em ato. Pois quem é infiel no pouco também o será no muito e é intratável. Ele trabalha em vão, não terá os frutos da santa obediência mas da sua própria desgraça .
50 . Se alguém tiver a sua consciência na maior pureza, em matéria de obediência a seu pai espiritual, então aguarda diariamente a morte como se fosse dormir, ou melhor, a vida, e não se espanta , sabendo com certeza que no momento da sua partida, não ele , mas seu diretor, serão chamados a prestar contas.
51 . Se alguém recebe voluntariamente alguma tarefa de seu pai, e ao fazê-lo sofre uma pisada em falso, não deve atribuir a culpa a quem a deu, mas a quem recebeu a arma. Pois ele levou a arma para a batalha contra o inimigo, mas lançou-a contra o seu próprio coração. Mas se ele se forçou por amor do Senhor a aceitar a tarefa, embora ele tenha previamente explicado sua fraqueza para quem deu a arma, tome coragem, pois ainda que tenha caído, não está morto.
52 . Esqueci-me de definir antes a vocês, meus amigos, o pão doce da virtude. Lá presenciei homens obedientes ao Senhor que se sujeitavam a insultos e desonra, por amor a Deus, para que, tendo-se preparado desta forma, pudessem se acostumar a não se acovardar diante de insultos vindo de outros.
53 . Ao resolver fazer sua confissão, a alma é assim impedida de pecar como por um freio. Pois o que não confessamos, o fazemos destemidamente, como caminhantes das trevas.
54 . Quando na ausência do superior imaginamos sua face e pensamos que ele está sempre de pé por nós, e evitar todo encontro, ou palavra, ou comida , ou sono, ou qualquer outra coisa que acreditamos que ele não iria gostar, então realmente aprendemos a verdadeira obediência. Falsa crianças consideram a ausência de seu professor como uma alegria, mas as legítimas consideram uma perda.
55 . Certa vez perguntei a um dos pais mais experientes e pressionei-o a contar-me como a humildade é obtida pela obediência. Ele disse: "O homem obediente que tem discernimento, mesmo que ele ressuscite os mortos e receba o dom das lágrimas e da liberdade de conflito, ainda pensará que é a oração de seu pai espiritual que conseguiu isto, e ele permanecerá alheio e estrangeiro a vãs presunções. Pois, como ele poderia orgulhar-se sobre o que é feito, como ele mesmo admite , com a ajuda de seu pai, e não por seu próprio esforço ?
56 . Mas a prática das virtudes acima é desconhecido para o solitário. Pois seus rigores lhe trazem vaidade e lhe sugerem que suas conquistas são devido ao seu próprio esforço .
57 . Aquele que vive em obediência iludiu duas armadilhas e permanece no futuro um servo obediente a Cristo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário